Pós-Graduação Lato Sensu em Agronegócio

Modalidade

Pós Graduação

Habilitação

Especialização

Duração

18 meses

Resolução MEC

  • Início das aulas: Julho de 2022
  • As aulas serão quinzenais sendo às sextas-feiras, presencialmente (noturno: 19:20h – 22:30h) e aos sábados, de modo remoto (matutino: 8:00h – 12:00h) e presencial (vespertino: das 13:00h – 17:00h).
  • Duração: 18 meses (3 semestres)
  • Vagas: 40
  • Investimento: 18 x R$ 350,00
  • Outras formas de pagamento: Consultar o departamento financeiro.
  •  DESCONTO ESPECIAL PARA ALUNOS E EX-ALUNOS
  • Coordenação: Prof. Dr. Marcelo Henrique Savoldi Picoli

 

  • PÚBLICO ALVO:
  • O curso de Pós-graduação Lato Sensu - Especialização em Agronegócio tem o intuito de atender aos profissionais que atuam diretamente nas atividades agropecuárias profissionais das áreas de Agronomia, Zootecnia, Medicina Veterinária, Administração, Biologia, Economia, Engenharia de Alimentos, Engenharia Ambiental, Engenharia Florestal ou áreas afins que queiram se qualificar para explorarem novas oportunidades de desenvolvimento do ambiente rural com foco na produção, transformação e comercialização agropecuária.

OBJETIVO GERAL:

Formar Especialistas em Agronegócio, com ênfase na preparação do profissional de agronegócio do futuro. O curso destaca-se por seu foco interdisciplinar em estratégia, transformação e tecnologia aplicadas aos setores da produção e comercialização agropecuária. O programa é destinado a profissionais que buscam se especializar e se preparar para analisar as influências globais em termos de tecnologia, economia, ambiente, política e sociedade sobre os agronegócios e empreender projetos de mudanças organizacionais.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

  • Desenvolver um processo pedagógico que possibilite ao educando, como agente de desenvolvimento, construir o senso crítico e a capacidade de compreensão, intervenção e transformação da realidade, na perspectiva de desenvolver sustentavelmente a região de atuação;
  • Realizar pesquisas e estudos que contribuam para o resgate das experiências e conhecimentos dos agricultores e para a geração e validação de tecnologias adaptadas à realidade do agronegócio, incentivando a investigação científica;
  • Formar profissionais responsáveis, autônomos, qualificados, com capacidade analítica interdisciplinar e multidisciplinar, com competências e habilidades voltadas para o desenvolvimento e utilização de técnicas aplicadas aos sistemas de produção agropecuária;
  • Formar profissionais com habilidades técnicas e científicas, capazes de uma atuação consciente no setor agropecuário, determinando tecnologias economicamente viáveis, servindo de fomento à atividade de transformação, buscando atender às expectativas da região;
  • Viabilizar soluções tecnológicas competitivas para o desenvolvimento de tecnologias na agropecuária, a partir do domínio dos processos de cadeias produtivas;
  • Possibilitar o conhecimento e aperfeiçoamento das novas tecnologias do setor rural, tendo em vista a qualidade e produtividade do setor;
  • Definir investimentos, insumos e serviços, visando à otimização da produção e o uso racional dos recursos;
  • Instrumentalizar o profissional no uso de ferramentas tecnológicas buscando capacitá-lo para o domínio dos instrumentos tecnológicos;
  • Desenvolver a competência técnica e tecnológica em sua área de atuação, inserindo-se no mundo do trabalho de modo compromissado com o desenvolvimento regional sustentável.

  O agronegócio brasileiro é responsável por grande parte da economia, representando uma grande parcela do PIB (Produto Interno Bruto) do país. O setor emprega profissionais com formações diversas, dentre eles Engenheiros Agrônomos, Geólogos, Engenheiros Florestais, Biólogos, Engenheiros de Biossistemas, Médicos Veterinários, Zootecnistas, Administradores, entre outros. Independente da formação, é importante que estes profissionais apresentem estratégias de gestão, o que garante valores positivos de produção e fluidez do negócio.

  O agronegócio no Brasil é sustentado pelo aumento contínuo da produtividade, em função da utilização de tecnologias que maximizam a eficiência das cadeias produtivas. Além disso, nosso país vem se destacando também pela produção de biocombustíveis, principalmente etanol feito da cana-de-açúcar. O etanol entra na política de energia limpa, integrando as premissas do agronegócio para uma produção sustentável.

  Podemos entender o agronegócio como a soma total das operações de produção e distribuição de suprimentos agrícolas; das operações de produção na fazenda; do armazenamento, processamento e distribuição dos produtos agrícolas e itens produzidos a partir deles. Desta maneira, o agronegócio implica na ideia de cadeia produtiva, apresentando vários elos, envolvendo os produtores rurais (responsáveis pela produção e manejo), os fornecedores de insumos (que possibilitam a sustentação do sistema) e o setor responsável pela comercialização e negociação. Além da negociação, este último setor também lida com o processamento de matérias-primas e com a logística de fornecimento, fazendo com que o produto chegue ao consumidor final. As agroindústrias, que entram nessa última subdivisão, são as responsáveis pela transformação da matéria-prima em produto final comerciável. Alguns exemplos destas indústrias são frigoríficos, indústrias de couro, de laticínios e enlatados. Essas indústrias são aliadas da comercialização do agro, pois possibilitam aumento da durabilidade dos produtos. Além disso, permitem o fornecimento em épocas fora de safra.

  Desta forma, notamos que o agronegócio brasileiro requer interdependência de vários ramos para para o seu bom desenvolvimento. Portanto, é preciso investir em capacitação para que se tenha uma boa gestão e planejamento, que são cruciais para que esse tipo de negócio dê certo.

  Em um mercado cada vez mais competitivo e globalizado, o profissional deste setor precisa estar constantemente atualizado, através de cursos de formação e capacitação, além de participação de feiras e eventos no ramo, para ficar por dentro das novidades do setor.

  Nesse contexto a UniFatecie se perfaz nos benefícios que a disseminação de conhecimentos em Agronegócios pode trazer para a matriz de produção rural de Paranavaí e região, visto que a região possui grande importância no contexto estadual, nacional e internacional em atividades agropecuárias.

PRIMEIRO SEMESTRE

  • Abordagens Conceituais e Interdisciplinares do Agronegócio
  • Planejamento e Desenvolvimento Rural Sustentável
  • Agricultura de Precisão e Produção de Alto Rendimento
  • Planejamento Estratégico para o Agronegócio

SEGUNDO SEMESTRE

  • Análise de Mercado e Comercialização de Produtos Agroindustriais
  • Associativismo, Cooperativismo e Economia Solidária
  • Políticas Econômicas aplicadas ao Agronegócio
  • Biotecnologia e Inovação no Agronegócio

TERCEIRO SEMESTRE

  • Custos de Produção e Elaboração e Análise de Projetos
  • Estatística aplicada ao Agronegócio
  • Gestão Ambiental e Responsabilidade Social

TCC - Trabalho de Conclusão de Curso

Carga horária total do curso: 420 horas

Olá! Como podemos te ajudar?